Buscar
Voltar à home
Ensaios
Rede
Faça parte
Publicações
Loja
Quem somos
Entre em contato
Início
Ver ensaio
A autora

Chimena - em vermelho

Fernanda Brandão

Chimena – em vermelho

Historicamente, o Brasil se configurou como destino de fluxos migratórios diversos, forçados ou “espontâneos” – característica que perdura na contemporaneidade. Apesar deste histórico e de sua constituição sociocultural multiétnica, imigrantes e refugiados continuam sofrendo com a invisibilidade, burocratização e a ausência de políticas acolhedoras, sendo assim é necessário fazer entender que essas circunstâncias não deve definir uma pessoa.
O projeto “Chimena – em vermelho” busca ser catalisador de sentimentos de empatia e conscientização, a fim de quebrar rótulos e preconceitos reproduzidos em nossa sociedade. Caroline Zambotti e Fernanda Brandão contam através de fotografias a história de Chimena Francisco – angolana que veio para o Brasil no ano de 2015 com apenas 17 anos, engrossando um já inflado número de pessoas que abandonaram seus países.
A despeito das motivações mais costumazes, Chimena aumentou as estatísticas de imigrantes para zelar por sua família. Mais especificamente, de Toni, seu irmão mais novo e portador de Hemofilia B grave – enfermidade pouco conhecida na Angola, descoberta através de um sério ferimento na perna.
Tempos depois, a chegada da sua irmã Joice aumentou as expectativas pela residência permanente no Brasil – ela estava grávida e o nascimento de sua filha Dayane no país poderia facilitar o processo da documentação da família. Deste modo, Toni não perderia seu tratamento gratuito fornecido pelo sistema de saúde público brasileiro.
O projeto é desenvolvido por meio de uma narrativa documental, na qual as fotógrafas acompanharam por dois anos o cotidiano da família. A expressão “em vermelho” surgiu depois: ao analisar as imagens, as artistas perceberam a frequência acidental de elementos vermelhos na maioria das composições. Ademais, a cor também representa a ligação entre os personagens dessa história: seus laços de sangue.
Em um pequeno cômodo encaixado nos fundos de uma pensão no bairro do Brás, em São Paulo, a família de Chimena divide atividades domésticas, lembranças e esperanças. Apesar das dificuldades encontradas e de tudo que deixaram para trás, a possibilidade de uma vida melhor é o que os conforta.

Fernanda Brandão1
Fernanda Brandão2
Fernanda Brandão3
Fernanda Brandão4
Fernanda Brandão5
Fernanda Brandão6
Fernanda Brandão7
Fernanda Brandão8
Fernanda Brandão9
Fernanda Brandão10
Fernanda Brandão11
Fernanda Brandão12
Fernanda Brandão13
Fernanda Brandão14
Fernanda Brandão
Fernanda Brandão
Uberlândia – MG
Assistente de fotografia  Fotógrafa  Produtora cultural
@ferrnandabrandao